Entenda a relação entre a alimentação infantil e a concentração

Como bem diz o ditado popular: somos o que comemos. Por mais que esse seja um dito veiculado no discurso leigo, comum, trata-se também de um fato científico, comprovado por vários estudos experimentais.

A relação entre ingestão alimentar e condições psicofisiológicas do ser humano se dá em todas as etapas de sua vida, mas é na infância que ela assume contornos fundamentais.

Isso porque a alimentação infantil é essencial para o desenvolvimento corporal e intelectual de uma pessoa.

Dentre os inúmeros benefícios que a alimentação é capaz de proporcionar na formação das crianças, hoje iremos nos ater sobre a concentração.

alimentação é capaz de influenciar diretamente na capacidade de um indivíduo de se concentrar.

Essa capacidade é fundamental para a realização de diversas atividades, especialmente aquelas que exigem mais atenção, como no caso da aprendizagem.

Continue o texto para saber mais sobre como a alimentação pode influenciar na concentração das crianças.

Entenda a relação entre alimentação infantil e concentração

Proporcionalmente, crianças precisam ingerir maior quantidade de nutrientes do que adultos.

Por estarem em fase de crescimento, elas necessitam comer e beber alimentos que estruturem e estimulem o funcionamento de todos os componentes corporais, que incluem o cérebro.

O sistema funcional cerebral abrange as propriedades tipicamente humanas que possibilitam diversos processos complexos, como a aprendizagem que, por sua vez, requer concentração e manutenção do foco.

Para que a capacidade de concentração das crianças seja construída e desenvolvida de modo satisfatório, é necessário haver a ingestão contínua de:

  • minerais;
  • vitaminas;
  • proteínas;
  • carboidratos;
  • e demais nutrientes que atuam na estruturação do cérebro.

Uma dieta equilibrada com as principais vitaminas para um bom desenvolvimento e funcionamento do corpo é fundamental para obtermos qualidade de vida.

Pensando nisso, especialistas do mundo todo vêm reforçando a importância do consumo de diversas vitaminas na infância.

O cardápio ideal

Segundo a nutricionista Valéria Schneider do Senac de São Carlos, alimentos como sálvia e açafrão, assim como vegetais verde escuros como rúcula e almeirão, são ricos em potássio e outras vitaminas que contribuem para a capacidade de concentração e memória.

Ela aponta ainda a importância do consumo de alimentos ricos em Ômega 3, como é o caso dos peixes e óleo de linhaça, entre outros, que favorecem a comunicação entre os neurônios, auxiliando na melhora do aprendizado.

São as substâncias saudáveis que, quando consumidas em uma rotina alimentar balanceada, fornecem a base corpórea para que a criança consiga se concentrar, assim como evitam possíveis disfunções cognitivas de natureza nutricional.

O estabelecimento de um cardápio voltado para a promoção de condições propícias ao desenvolvimento da concentração infantil requer não apenas que a criança coma e beba alimentos saudáveis, mas também que evite substâncias que podem ser nocivas.

Isso significa a recomendação de que, na alimentação infantil, sejam controladas certas substâncias, tais como o açúcar e as gorduras, tão comuns em doces e salgadinhos.

Fonte: https://escoladainteligencia.com.br/entenda-a-relacao-entre-a-alimentacao-infantil-e-a-concentracao/