Como fazer um relatório?

Você sabia que a palavra “relatório” tem origem no latim? O termo vem da expressão latina relatus, particípio do verbo refere, que, em sentido literal, significa “levar de volta” e, em sentido figurado, tem a ideia de “contar”.

Hoje, a palavra relatório se refere a um gênero textual muito cobrado na escola, na graduação e na vida profissional. Contudo, você sabe quais são os tipos de relatório que existem e quais suas características? No artigo de hoje, vamos explicar o que é um relatório, quais são suas modalidades e como produzir esse tipo de texto. Acompanhe!

O que é um relatório?
Um relatório é um texto que tem a função de trazer informações e detalhes sobre os pontos mais importantes de determinada situação ou atividade. É possível fazer um relatório de um evento, de um período de estágio, de um projeto de pesquisa e até mesmo das ações adotadas por uma empresa.

Independentemente da situação analisada, a escrita deve ser formal e estar de acordo com a norma culta da língua portuguesa. Um relatório pode tanto trazer os fatos sem se posicionar em relação a eles quanto interpretar e justificar as questões abordadas; isso varia conforme a intenção do autor e a proposta do trabalho.

Quais são os tipos de relatório?
O gênero textual relatório apresenta diversas modalidades, que se diferenciam principalmente por seu objetivo e pelo contexto em que são elaboradas. Os tipos mais comuns são:

Relatório escolar: é o relato de uma tarefa solicitada pelo professor, como uma atividade em grupo, um passeio ou uma visita a um museu;
Relatório científico: costuma ser exigido durante a graduação e traz detalhes sobre a participação em palestras, pesquisas e estágios;
Relatórios corporativos: são feitos no ambiente profissional e têm o objetivo de analisar as atividades de uma empresa. Os relatórios desse tipo podem tanto focar em um período restrito, como uma semana ou mês, quanto adotar uma abordagem mais geral, incluindo todos setores e atos da companhia.
Como fazer um relatório?
Existem algumas características básicas, que se mantêm em todas as modalidades. Abaixo, vamos trazer algumas dicas para escrever um bom relatório de qualquer tipo. Confira!

  1. Planejamento
    O primeiro passo é organizar suas ideias. Antes de começar o texto, separe materiais sobre a questão a ser trabalhada, defina qual é o propósito do relatório e quais são seus pontos principais. Faça anotações, hierarquizando-as em tópicos e subtópicos. Em seguida, escreva a primeira versão do texto.

  2. Linguagem
    Relatórios se destacam pela coesão, coerência, clareza e objetividade. Ao produzir esse tipo de texto, certifique-se de excluir todas as informações que não forem relevantes e de escolher as palavras com precisão, evitando ambiguidade sobre as ideias que estão sendo trabalhadas. Não usar adjetivos, preferir orações na ordem direta e utilizar um tom impessoal são recursos que podem ajudar nesse processo.

Como dito anteriormente, relatórios devem ser escritos na variante formal da língua portuguesa, logo, revise seu texto diversas vezes, garantindo que não há termos coloquiais, erros gramaticais ou ortográficos.
3. Estrutura
A maioria dos relatórios apresenta uma estrutura semelhante, cujos principais itens são capa, introdução, desenvolvimento, conclusão e bibliografia. Abaixo, mostraremos como escrever cada um deles. Veja:

Capa
Geralmente, relatórios possuem capas, que trazem nome do autor, título do trabalho, nome do curso, dos professores e da instituição de ensino, no caso de relatórios acadêmicos, nome da empresa e do departamento envolvido, no caso de relatórios corporativos. Em algumas situações, a capa pode ser seguida por um índice e por uma página destinada apenas ao título.

Introdução
Na introdução, devem ser explicados resumidamente o objetivo do relatório, a metodologia utilizada e os resultados obtidos. Também é interessante trazer informações que situem o leitor em relação ao tema e ao objeto analisado.

Desenvolvimento
O desenvolvimento é a maior parte de um relatório. É aqui que a situação abordada, suas causas e consequências devem ser expostas detalhadamente ao leitor. Para tornar seu texto mais consistente, é possível incluir dados estatísticos, entrevistas e depoimentos. Só não se esqueça de avaliar quais desses recursos são mais adequados para o objetivo do seu relatório.

Conclusão
É na conclusão que o autor sintetiza as ideias trabalhadas ao longo do texto e traz as consequências de suas análises. Essa parte é dedicada à finalização do relatório, logo, não deve apresentar conteúdos novos.

Bibliografia
Ao final, é preciso existir uma lista dos materiais que serviram de base para a elaboração do relatório. Se você incluir todos os textos, livros, sites, entre outros, que foram consultados durante a escrita do relatório, esse item deve se chamar “Bibliografia”. Contudo, se você preferir listar apenas os materiais que foram diretamente citados ao longo do texto, deve optar pela expressão “Referências Bibliográficas.”

E então? O que você achou do nosso artigo sobre como fazer um relatório? Ficou com alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários!

Bons estudos e até mais!
Fonte:https://canaldoensino.com.br/blog/como-fazer-um-relatorio